Salto Alto: Conheça a História do Sapato Queridinho das Mulheres

Os sapatos de salto alto são considerados muito importantes na moda em todo o mundo. Utilizado por mulheres que buscam elegância e alguns centímetros de altura a mais, há evidências de que esse tipo de sapato surgiu com propósitos bem diferentes.

Apesar de não se saber exatamente quem criou o salto alto, é possível encontrar uma versão primitiva nos murais do Egito antigo datados de 3500 a.C., sendo o calçado usado apenas pelas classes mais altas.

Já na Idade Média, surgiu uma espécie de calçado com solado de madeira, considerado o verdadeiro precursor do salto alto.

A função desses sapatos de salto eram manter longe da lama e de outros detritos das ruas os materiais caros e frágeis dos calçados baixos que eram usados pela nobreza, tanto por homens como por mulheres.

Em seguida, surge, na Turquia, por volta do ano de 1400, o chopine, sapatos do tipo plataforma se tornaram populares por toda a Europa, sendo usado apenas por mulheres.

Alguns sapatos de salto eram tão altos, podendo chegar até 40 centímetros, que as mulheres precisavam de bengalas ou da ajuda dos servos para ficarem de pé.

Os venezianos, por sua vez, foram responsáveis por transformar a peça e deixá-la mais luxuosa, sendo um símbolo de status, riqueza e posição social.

Salto Alto Conheça a História do Sapato Queridinho das Mulheres

No entanto, nem tudo são flores na história desses queridinhos da moda. Em alguns países, as mulheres dos haréns eram obrigadas a usar sapatos de salto alto, dificultando que elas fugissem ou escapassem dali.

Por volta de 1500, os calçados começaram a ser confeccionados em duas partes separadas: uma parte superior mais flexível e uma inferior de sola dura e pesada.

Nessa época, esse modelo de sapato de salto alto foi disseminado pelos cavaleiros, tanto homens quanto mulheres, que o usavam para equitação. Pouco tempo depois, entraram em cena os saltos mais finos, considerados também mais elegantes.

Mas a popularização do salto alto como moda teve como uma das principais precursoras a rainha Catarina de Médici, esposa do rei da França Henrique II. Sua baixa estatura a deixava insegura e, por isso, ela usava sapatos de salto alto feitos por um artesão italiano chamado Constantino Coccinelle.

Acredita-se que ele foi o desenvolvedor do modelo de sapatos de salto alto que conhecemos atualmente. O calçado da rainha conquistou os franceses e foi inserido na moda da aristocracia europeia.

Veja também: Os Diferentes Tipos de Salto Alto!

O rei Luís XIV, com apenas 1,60 metros de altura, também foi outro responsável por popularizar o sapato de salto alto, além de decretar que apenas a alta nobreza poderia fazer uso desse calçado, pois o modelo era símbolo de luxo e poder.

Com a revolução, em 1791, os saltos perderam força, devido ao movimento de igualdade de classes sociais, já que só a nobreza poderia usá-los até então. Voltou a ser moda apenas por volta de 1800, espalhando-se por toda América e com uma ampla variedade de opções e, algumas, mais confortáveis.

Na Europa, na mesma época, a indústria de calçados era valorizada pelos sapatos de salto produzidos à mão. Ao final da década de 1950, o estilista inglês Charles Worth se destacou produzindo sapatos para toda a realeza europeia.

Entre o final do século XIX e o começo do século XX, os mais diversos saltos foram vistos nos pés das estrelas de Hollywood, o que contribuiu imensamente para a sua popularização.

O salto stiletto – também conhecido como salto agulha – e muito popular atualmente, só foi inventado após a primeira Guerra Mundial. Porém, semelhante a uma lâmina e feito de ferro, sua utilização era proibida em alguns locais, pois danificava o chão.

Foi nessa época que os sapatos de salto alto começaram a ser remetidos à sensualidade feminina.

O Salto Alto nos Dias Atuais

Salto Alto Conheça a História do Sapato Queridinho das Mulheres

Atualmente, o estilo do sapato possui uma maior flexibilidade com o estilo de cada mulher, que pode ou não envolver o salto alto.

Mesmo assim, não há como negar que esse calçado consegue trazer mais feminilidade e elegância para qualquer pessoa. Em festas e cerimonias mais chiques, por exemplo, o salto alto possui presença obrigatória.

Já para quem deseja um sapato coringa, a dica é investir no bom e clássico scarpin com salto alto, capaz de dar um up em qualquer produção.

Você conhece mais alguma curiosidade sobre a origem do salto alto? Conte para gente!

Comentário(s)

4 comentários sobre “Salto Alto: Conheça a História do Sapato Queridinho das Mulheres

  1. Catarina de MedicI, esposa de HENRIQUE II, REI DA FRANÇA, citada na matéria acima, quando se informa que ela encomendou um par de sapato com salto alto ao artesão italiano é deixado de informar que é o sapateiro de nome Constantine Coccinelle. Constantine Coccinelle foi quem produziu o primeiro salto-alto para o calçado feminino. Artesão italiano e criador do salto alto no calçado feminino, ele Nasceu em Florença na Itália em 24 de fevereiro de 1502 e morreu em 6 de novembro de 1583. Através de Constantine Coccinelle surgiu o salto alto no calçado feminino e com seu desenvolvimento chegou-se ao formato que atualmente conhecemos, mais próximos do que hoje consideramos sapatos de salto alto. É mais do que uma assinatura, foi o legado de Coccinelle deixado para a posterioridade e, especialmente para as mulheres que amam sapatos. naquela época Apenas o talon rouge (salto vermelho) era usado nessa cor até então, o restante do solado do calçado era de outra cor. O vermelho representava poder e nobreza, assim, Constantine Coccinelle introduziu pela vez primeira o solado vermelho na composição com o salto alto feminino por ele criado. Atualmente, em versão moderna, o solado vermelho é usado por Christian Louboutin em suas criações, mas não podemos deixar de atribuir à Constantine Coccinelle a versão original.

    1. Olá, tudo bem? Agradecemos sua colaboração com o conteúdo, as informações realmente coincidem. Iremos atualizar o post. Obrigada.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *